SCO - SOCIEDADE CEARENSE DE OFTALMOLOGIA, Sociedade Cearense de Oftalmologia, sco, sco.med.br
Av. Dom Luiz, 300, Sala 1127 - Meireles - Fortaleza, CE
sco@sco.med.br

(85) 3264.9404
NOSSO ATENDIMENTO


HISTÓRIA

SURGE A SOCIEDADE DE OFTALMOLOGIA DO CEARÁ

Por iniciativa de grupo liderado pelo Dr. Leiria de Andrade Jr. os oftalmologistas se desvincularam da Associação dos Oftalmologistas e Otorrinolaringologistas do Ceará (que, dissolvida, originou a Sociedade Cearense de Otorrinolaringologia, Broncoesofagologia e Foniatria). Fundou-se então, oficialmente, em 1º de março de 1963, a Sociedade de Oftalmologia do Ceará, filiada à Associação Médica Brasileira através do Centro Médico Cearense. Sua primeira diretoria foi constituída pelos Drs. Leiria de Andrade Jr. (Presidente), Décio Teles Cartaxo (Vice-Presidente), Leopoldo Farias Moura (Secretário Geral) e Walter Machado da Ponte (Tesoureiro). Presentes ainda à primeira reunião os Drs. Zairton Gaspar de Oliveira, Valzenir Rodrigues de Castro, Fernando Monte, Fernando Antônio Martins do Couto e Afrânio Memória.

Os livros de atas anotaram a seguinte movimentação científica naquele ano:

“O emprego do Diamox no escotoma cintilante”, resumo de artigo de revista apresentado pelo Dr. Leopoldo Farias Moura.

“Câmara plana no afácico”, trabalho do Dr. Leiria de Andrade Jr.

“Considerações sobre ambliopia e seu tratamento” – Dr. Valzenir Rodrigues de Castro

“Neurites Ópticas” – Dr. Roberto Caminha Juaçaba.

Registram ainda os livros de atas, a partir de 1967, o início das dificuldades que viriam a se abater sobre a medicina em geral, com a entrada em cena da assistência médica através de convênios com a Previdência Social. Em 1969 o Dr. Valzenir de Castro comunicou, na sessão do dia 6 de fevereiro, o início do funcionamento do Instituto de Oftalmologia do Pirambu, de sua propriedade, e o pedido de credenciamento, feito ao Instituto Nacional da Previdência Social (INPS), para atendimento aos seus segurados. Na mesma sessão os Drs. Leiria de Andrade e Antônio Rangel se disseram inclinados a também credenciar sua clínica, já que se rompia o acerto de somente trabalhar para a Previdência Social na qualidade de funcionários. Os debates foram acalorados.

A Sociedade de Oftalmologia do Ceará funcionou regularmente até 1974, quando enfrentou dissensões causadoras de considerável marasmo em suas atividades.

Para superar a lacuna um grupo liderado pelos Drs. Valter Justa, Fernando Monte e Emilson Barros de Oliveira fundou, em 1977, o Centro de Estudos Oftalmológicos do Ceará (CEOCE), que funcionou sob a presidência do Dr. Valter Justa até a regularização das atividades da Sociedade em 1979, quando se dissolveu. O CEOCE organizou a Primeira Jornada Cearense de Oftalmologia, ocorrida no Centro de Convenções do Hotel Colonial, nos dias 6 e 7 de janeiro de 1978, com participação dos Oftalmologistas locais e de outros estados. No programa, temas de cirurgia plástica ocular (Drs. Germano Riquet e Vitoriano Barbosa, ambos de Fortaleza), glaucoma (Dr. João Orlando Ribeiro Gonçalves (de Teresina), biomicroscopia da retina (Dr. Afonso Medeiros, do Recife), Fluoresceina e fotocoagulação (Dr. Christiano Barsante, de Belo Horizonte), vitrectomia (Dr. Valter Justa, de Fortaleza), descolamento da retina (Dr. João Alberto Holanda Freitas, cearense radicado em Campinas, São Paulo) e microcirculação da retina (Dr. Fernando Monte, de Fortaleza).

Ironicamente, em fase má da Sociedade, ocorreu em Fortaleza em 1975 o Congresso Brasileiro de Oftalmologia, sob a presidência do Dr. Leiria de Andrade Jr., então presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia. Foi um evento marcante sob todos os aspectos. Convidados especiais de outros países e a nata da oftalmologia brasileira apresentaram temas do maior interesse. Ao final desse Congresso foi inaugurado na Clínica Oftalmológica do Hospital Geral de Fortaleza o primeiro fotocoagulador de raios laser de argônio do Brasil.

Presidentes da Sociedade de Oftalmologia do Ceará:

Dr. Leiria de Andrade Júnior (1963 e 1964)

Dr. Hélio Góes Ferreira (1965 e 1966)

Dr. Edmilson Barros de Oliveira (1967)

Dr. Valzenir Rodrigues de Castro (1968)

Dr. Décio Teles Cartaxo (1969)

Dr. Antônio Rangel (1970)

Dr. Hyder Carneiro (1971)

Dr. Waldo Pessoa de Almeida (1972)

Dr. Antônio Mont’Alverne Lopes (1973)

Dr. Roberto Caminha Juaçaba (1974)[1].

Dr. Manuel Augusto Soares (1979)

Dr. Francisco Valter da Justa Freitas(1980)

Dr. Antônio Rangel (1981)

Dr. José Emilson Motta Barros de Oliveira (1982)[2]

Dr. Sylvio Ideburque Leal Filho (1983-1984)

Dr. Guaracy Maia Chaves (1985-1986)

Dr. Luís Carlos Sales de Castro e Silva (1987-1988)

Dr. Luciano Leitão Alencar (1989-1990)

Dr. Rafael Dias Marques (1991-1992)

Dr. Renato Stênio Torres Rodrigues (1993-1994)

Dr. Leiria de Andrade Neto (1995-1996)

Dr. Antônio Augusto Matos Pires (1997-1998)

Dra. Islane de Castro Verçosa (1999-2000)

Dra. Eliane Barbosa Bonfim de Moraes (2001-2002)

Dr. Aristófanes Canamary Ribeiro (2003-2004)

Dr. Fernando Antonio Lopes Furtado Mendes (2005-2006)

Dr. Sérgio Augusto Carvalho Pereira (2007-2008)

Dr. David da Rocha Lucena (2009-2010)

Dr. Edmar Oliveira Guedes Júnior (2011-2012)

Dr. Dácio Carvalho Costa (2013-2014)

Dr. Newton Andrade Junior (2015 - 2016)

A Sociedade possui, no momento, cerca de trezentos e cinquenta sócios distribuídos nas diversas categorias.

[1] Como não houve eleição nos três anos seguintes, devido a divergências internas, a Sociedade entrou em regime de quase hibernação de 1976 até 1979. Nesse período exerceram a presidência os Drs. Afrânio Memória (Vice-presidente no mandato do Dr. Roberto Juaçaba) e Fernando Monte, tendo havido pouca movimentação.

A partir daí o mandato da diretoria passou a ser de dois anos.